Conhecendo as criptomoedas - Parte 1


Introdução ao mundo das criptomoedas, serie que textos que serão criados para divulgação das criptomoedas e do projeto vibook

Quando eu era criança, por vezes via na televisão artigos futuristas que diziam que um dia ia chegar em que as pessoas não iriam precisar mais de andar com notas de dinheiro em suas carteiras, pois aparelhos portáteis teriam a solução de enviar e receber dinheiro de forma eletrônica, de forma simples, rápida e sem problemas como os de segurança ao portar valores ou a dificuldade de se devolver trocos. Talvez de forma ainda modesta, essa realidade já é possível em nossos dias. Podemos usar da internet para fazer pagamentos online, usar nosso cartão de crédito para compras virtuais… O celular já é uma ferramenta comum para pagamentos via aplicativos bancários, por exemplo.

O que não pensávamos na época, é que um sistema de pagamentos online poderia tirar o poder dos grandes bancos e governo, e passar o controle do dinheiro aos usuários de sua rede! Sim, esta é uma das muitas maravilhas trazidas a nós por algumas das criptomoedas.

Criptomoedas são moedas digitais que usam a criptografia para validar transações e para controlar a criação de novas unidades dessas moedas. A mais famosa delas, e a primeira descentralizada, é o Bitcoin.

O que é Bitcoin?

Como vimos, o Bitcoin é uma forma de moeda digital, criada e realizada por via eletrônica. 

Bitcoin pode ser usado para comprar coisas eletronicamente. Podemos usar Bitcoins da mesma forma que nossa moeda tradicional. Já existem diversas lojas e setores que aceitam pagamento via Bitcoin. Nesse sentido, é como dinheiro convencional, só que é negociado digitalmente.

No entanto, a característica mais importante do bitcoin, a única coisa que o torna diferente de dinheiro convencional é que ele é descentralizado. Ele é um sistema de pagamento eletrônico baseado no modelo que conhecemos como “peer to peer”, que significa de “pessoa para pessoa”. Sendo assim, não existe um banco para controlar e emitir essa moeda. Na verdade, ninguém controla o Bitcoin. Bitcoins não são impressos, como o banco central imprime nossas notas de reais - eles são produzidos por pessoas que correm seu software por computadores em todo o mundo, usando um algoritmo que resolve problemas matemáticos.

Não seria realmente maravilhoso tomar as rédeas em relação a sua vida financeira e saber que é você que tem o poder sobre seu dinheiro, e não os bancos e o governo?

Quem o criou?

O bitcoin foi apresentado pela primeira vez em 2008 num grupo de discussão chamado The Cryptography Mailing, e a rede foi inaugurada em 2009. O desenvolvedor do sistema (ou o grupo que o desenvolveu) criou o pseudônimo Satoshi Nakamoto para preservar seu nome verdadeiro. Até hoje a identidade de Satoshi é desconhecida. De toda forma, a criatura é muito mais importante que seu criador: Satoshi Nakamoto propôs um sistema de pagamento eletrônico com base em prova matemática. A idéia era produzir uma moeda independente de qualquer autoridade central, transferível eletronicamente com taxas muito baixas de transação.

Quem imprime bitcoins?

Quando ouvi pela primeira vez sobre uma moeda que não era controlada por um banco, minha cabeça ficou confusa e foi difícil entender a resposta sobre quem é responsável por emitir novas moedas: Ninguém. Mas como assim?!!?! 

Bitcoins são limitados, e como a ideia era realmente não serem emitidos por bancos, Satoshi Nakamoto teve uma ideia genial para a emissão de novas moedas: um software, de tempos em tempos solta uma sequência de números com um valor em Bitcoins, de forma criptografada. Quem consegue quebrar essa sequência leva o Bitcoin! Computadores muito potentes fazem esse trabalho, chamado mineração. O nome lembra a mineração do ouro, que é descoberto aos poucos através do trabalho dos mineiros. No caso do BTC, os mineiros são os computadores.

O Bitcoin é usado digitalmente, por uma comunidade de pessoas, onde qualquer pessoa pode participar. Bitcoins são "explorados", usando o poder de computação em uma rede distribuída.

É essa mesma rede que também processa e valida as transações feitas com a moeda virtual.

Ao conhecer sobre mineração, temos mais algo interessante para refletirmos: os bancos podem simplesmente produzir mais dinheiro para cobrir a dívida nacional, assim desvalorizando sua moeda. Já o Bitcoin, tende a manter seu poder de compra, sendo pouco ameaçado pela inflação.


Espero que tenham gostado, na parte dois trataremos das caracteristicas do bitcoin e de blockchain.

47 Visualizações